No âmbito do processo de divulgação das ferramentas desenvolvidas pela Geminação de Resiliência e de formação de gestores de AMP, foi iniciada uma colaboração com a autoridade dos parques nacionais do Senegal (DPN) e a direção das áreas marinhas protegidas comunitárias (Direction des aires marines communautaires protégées, DAMCP).

Esta colaboração visa em particular aplicar a ferramenta de autoavaliação da resiliência (R-SAT) para avaliar as capacidades das AMP em diferentes contextos. Uma primeira sessão de formação realizou-se em Dakar, em dezembro de 2020, com uma equipa do parque nacional das Ilhas de Madeleine. Esta AMP é o parque nacional mais próximo da capital senegalesa e representa uma montra da política nacional de conservação marinha. É visitado diariamente por turistas e está situado num local com a passagem constante de embarcações e navios de pesca. Uma segunda sessão foi organizada na ilha de Gorée, património mundial pelo seu papel como maior centro de comércio de escravos na costa africana, em fevereiro de 2021, com a equipa desta área marinha protegida comunitária, a monitorização principal e o responsável pela avaliação da DAMCP, bem como várias partes interessadas (pescadores, associação ambiental, autoridade local de Gorée e outros). Dezasseis pessoas assistiram ao encontro na câmara municipal, organizado pela autoridade nacional.

A minúscula ilha de Gorée é um local histórico que enfrenta muitas ameaças devido à sua localização perto da entrada do porto principal de Dakar.

Estão programadas até junho de 2021 sessões com outras AMP, bem como com membros da AMP da rede regional de AMP da África Ocidental (RAMPAO).

O tópico da resiliência costeira ganhou um novo ímpeto no Senegal, com uma série de projetos em curso (sobre legislação costeira, uma estratégia de gestão integrada da zona costeira (ICZM), AMP e mangais, etc.). O governo do Senegal propôs uma resolução da UICN (sobre resiliência, preparada com a contribuição da geminação de resiliência deste projeto e o apoio de 22 patrocinadores sul-africanos de 8 regiões geográficas distintas da UICN.

 

Antes de pousar na Ilha Gorée. Crédito: Ocean Governance

 

Reunião de resiliência. Crédito: Ocean Governance