Na semana passada, o Projeto de Governação dos Oceanos realizou um dos seus maiores e mais entusiasmantes eventos desde o seu lançamento em 2016. Nos dias 12 e 13 de outubro, a nossa equipa reuniu mais de 60 profissionais do oceano das Américas, África, Europa e Ásia para participar em dois dias intensos de intercâmbio de aprendizagem em Kota Kinabalu, Malásia. O evento foi organizado conjuntamente pelos parceiros do consórcio do projeto com a Secretaria Regional CTI-CFF.

No centro do intercâmbio de aprendizagem estava a consciência de que – apesar de estarem separados por milhares de quilómetros – os gestores de AMPs e os conservacionistas dos oceanos enfrentam muitos desafios e problemas comuns em todo o mundo. A reunião de participantes de países da Bacia Atlântica com os do Sudeste Asiático criou a oportunidade única de obter novas perspetivas, partilhar lições aprendidas e ligar-se diretamente uns aos outros.

O evento de dois dias teve um programa completo de 16 sessões, abrangendo tópicos como a sustentabilidade financeira das AMPs, a eficácia da gestão, a proteção de mamíferos e tartarugas marinhos, a restauração de corais e mangais, bem como a resiliência costeira. Os oradores vieram de países como a Argentina, o Senegal, a Espanha, a República Dominicana e dos países que rodeiam o Triângulo de Coral: Indonésia, Malásia, Filipinas e Timor-Leste. Os animados debates durante e fora das sessões mostraram que existe uma clara necessidade de os gestores de AMPs e os conservacionistas de todo o mundo se ligarem uns aos outros e partilharem conhecimentos, sucessos e até fracassos.

O evento também deu ao Projeto de Governação dos Oceanos a oportunidade de expandir a sua rede de parceiros e alargar os seus projetos de geminação aos países do Sudeste Asiático. Numerosos participantes expressaram o seu apreço pelo evento, que se espera venha a funcionar como um catalisador para novas parcerias e novas abordagens para a conservação dos oceanos e das áreas marinhas protegidas.

Os intercâmbios de aprendizagem terminaram com uma visita no terreno à Ilha Manukan, parte do Parque Tunku Abdul Rahman, um parque estatal localizado a 3 km da costa de Kota Kinabalu. Isto deu aos participantes a oportunidade de conversar mais informalmente enquanto desfrutavam da beleza da natureza, tão querida por todos os envolvidos.

Em última análise, os intercâmbios de aprendizagem entre o Atlântico e o Sudeste Asiático deixaram os participantes com novas ideias, abordagens e oportunidades para a proteção eficaz do oceano nos seus países. Foi o primeiro grande evento presencial do projeto desde a pandemia COVID-19 e uma prova do valor acrescentado de reunir pessoas na prática e não através de videochamadas. Um grande obrigado a todos os participantes, parceiros, coorganizadores, e à União Europeia pelo apoio a esta inestimável iniciativa.